Marca Prefeitura

Você sabe o que é Traumatismo Cranioencefálico?

Tarumã, 24 de agosto de 2015

Traumatismo craniano é um tipo de lesão na cabeça, caracterizado por qualquer pancada, podendo ser de leve à grave, aberto ou fechado. Suas causas mais comuns são: acidentes automobilisticos, atropelamentos, quedas, perfuração craniana e durante a prática esportiva.

Os sintomas do traumatismo craniano podem demorar até 24 horas para aparecer, por isso, o inidividuo que tiver um trauma na cabeça, deve ser observado durante esse período, de preferencia no hospital. Os sintomas incluem: perda da consciência, desmaio, forte dor de cabeça, sangramento na cabeça, pela bica, ouvido ou nariz, diminuição da força muscular, sonolência, dificuldade na fala, alterações de visão e audição, perda de memória e coma.

A gravidade do tipo de traumatismo pode definir se a pessoa ficará ou não com sequelas. São exemplos der sequelas: convulsões, perda da visão, deficiencia mental, alteração no comportamento, perda de movimento de algum membro, entre outros.

O tratamento para o traumatismo craniano varia de acordo com a gravidade do caso.

 

Atuação fonoaudiológica no TCE

No TCE a fonoaudiologia atua em diferentes fases da disfagia, que é um distúrbio da deglutição. Essas fases são: preparatória oral, faríngea e esofágica.

A disfagia não é uma doença, mas sim uma consequência que ocorre através de diversos sintomas nas patologias neurológicas, afetando crianças e adultos, entre elas estão: tosse durante ou após a deglutição, mudança na postura da cabeça durante a alimentação, e incoordenção respiratória.

A reabilitação fonoaudiológica visa restabelecer a função normal ou compensatória, auxiliando para que o paciente consiga se alimentar normalmente e reduza a probabilidade de indicação do uso de sondas para a alimentação.

 

Atuação da fisioterapia no TCE

A fisioterapia atua de acordo com as sequelas motoras e/ou respiratórias que ocorrem no TCE. Essas podem ser leve, moderada ou grave.

O tratamento se concentra na estimulação muscular para a produção de força, na mobilização passiva, ativa, livre e/ou assistida para o ganho de amplitude e flexibilidade; manutenção do tônus, velocidade de movimento e tempo de reação, e na função sensorial através de técnicas da propriocepção e exercícios de equilíbrio.

 

Suporte nutricional

O suporte nutricional precoce é recomendado em pacientes com TCE, devendo ser iniciada assim que a estabilidade hemodinâmica for obtida. Estudos mostram que o início precoce da dieta está associado à melhores resultados de sobrevida e melhores taxas de recuperação pós-lesão neuronal, aumento na função imunológica dos pacientes, com aumento dos valores de células T CD4, relação CD4-CD8 e linfócitos T mais responsivos 5 .

O uso de fórmula enteral é preferível, mas em casos de grande volume residual gástrico, com risco de broncoaspiração ou trauma abdominal associado, o uso de dieta parenteral pode ser utilizado.

Independente do método de suporte nutricional deve ser feita a monitorização do paciente em busca de efeitos colaterais do suporte dietético como hiperglicemia, cetoacidose, intolerância gástrica, diarreia e desidratação, ou qualquer condição que cause alteração do quadro hemodinâmico do paciente.

Assessoria de Comunicação | PMT.